A Torre Negra: A Escolha dos Três

O texto abaixo contém alguns spoilers

Enredo

Após finalmente ter alcançado o Homem de Preto, Roland teve sua conversa final com o mesmo, e ele revelou a Roland seu futuro, através de três cartas: O Prisioneiro, a Dama das Sombras e a Morte — mas não para ele.

Roland, no início do livro acorda numa praia. Não sabia quanto tempo havia dormido. A única coisa que restara ao seu redor e indicava o que poderia ter acontecido era o esqueleto do Homem de Preto, o qual Roland pode ter matado, ou não. Quando acorda já é fim do dia, e a maré levava o mar até bem próximo a ele. Não apenas as águas estavam próximas, mas também criaturas estranhas, parecidas com lagostas e que são apelidadas de lagostrosidades.

Antes de tecer qualquer reação apropriada para o contexto em que se encontrava, uma das lagostrosidades o ataca, cortando fora alguns de seus dedos e, por consequência, o envenenando. Além disso Roland acaba por ter várias de suas balas molhadas, o que faz com que boa parte delas fique inutilizada e, portanto, diminuindo o poder de fogo do pistoleiro.

Após escapar de ser trucidado pelas lagostas monstros Roland continua sua jornada em busca dos três. Ele encontra uma primeira porta, que o leva para O Prisioneiro. Ao adentrar a porta Roland se vê na pele de Eddie Dean, um jovem novaiorquino viciado em heroína. Eles aprendem que podem levar e trazer objetos — inclusive eles próprios — entre os dois mundos. Roland ajuda Eddie a levar em segurança — i.e., sem ser pego pela polícia — as drogas que o mesmo carregava para um traficante que está com seu irmão.

Infelizmente as coisas desandam. O irmão de Eddie é morto, o próprio Eddie se revolta com o fato e, aliado a outras tensões, acontece um enorme tiroteio. Roland ajuda Eddie a matar o traficante e seus lacaios, ao mesmo tempo em que consegue, em Nova Iorque, remédios e comidas. Então voltam para o mundo Roland.

Roland e Eddie continuam a jornada até que encontram a segunda porta, que os leva à Dama das Sombras. Através desta porta Roland conhece Odetta Walker, uma jovem negra que, quando criança levou uma tijolada na cabeça, o que a fez desenvolver uma segunda personalidade chamada Detta. Enquanto Odetta era calma, muito bem educada e basicamente uma princesa — além de rica — Detta tinha um palavreado completamente torpe e se entregava por completo ao sub-mundo.

Roland a traz para seu mundo, mas a personalidade Detta se mostra um trabalho árduo para ele, como também para Eddie. O trabalho que ela dá não é somente pela sua personalidade chula, mas também porque ela não tem mais as pernas, pois as perdeu depois de alguém a ter empurrado na frente de um trem. É necessário lembrar que não somente a personalidade extra é chula, como perigosa, sempre planejando matá-los.

Enquanto continuam sua jornada, tentando conter Detta sempre que a mesma se manifestava, a terceira porta é finalmente encontrada. Através desta porta Roland conhece um serial killer, chamado Jack Mort. Há muito tempo — pois o quando de Mort ficava junto ao de Jake (do primeiro livro) e entre os quandos de Detta e Eddie — Jack entrara em um edifício abandonado, disfarçado como um vagabundo. Ao ver uma família de negros passar, pegou um tijolo e deixou-o cair para atingir uma criança. Sim, a criança era Detta Walker.

Mais a frente no tempo ao encontrar um garoto parado numa esquina Jack Mort teve o impulso de empurrá-lo para que o menino morresse esmagado por um carro. Mort estava vestido como padre, assim como o Homem de Preto, mas Roland impediu que Jake — do primeiro livro — fosse morto. Mais a frente Roland descobre que esse serial killer fora também o responsável pela amputação das pernas de Odetta, quando a empurrou na frente de um trem.

Após descobrir todas estas coisas Roland passa a usar o corpo de Jack para conseguir mais remédio e mais munição para os seus revólveres. E então parte para uma estação de trem. Enquanto ia para a estação de trem através do corpo de Mort, seu próprio corpo estava inerte em seu mundo e Eddie Dean estava lutando contra as lagostrosidades que estavam vindo para devorar o pistoleiro, e os outros dois. Detta decide se aproveitar do momento para finalmente matar os captores. Mas enquanto passava de frente à porta viu o seu algoz se jogando — ou melhor, sendo jogado por Roland — nos trilhos da estação em que fora, morrendo esmagado.

Esse acontecimento faz com que as duas personalidades da jovem negra se fundam, formando uma terceira e única personalidade chamada Susanah. Roland finalmente está de volta e ajuda Eddie a combater e fugir das lagostrosidades. Eddie, que estivera apaixonado por Odetta, agora inicia um romance com Susanah, que passa a cooperar com os dois.


Opinião

A Escolha dos Três é o segundo livro da série A Torre Negra de Stephen King.

Diferentemente do primeiro livro, a história possui uma maior coerência — ou seria coesão? —, no sentido de que o leitor não está mais tão perdido. Ainda assim muitos questionamentos continuam.

Outro fator interessante, o qual não foi muito forte no primeiro livro, é como o enredo deste segura o leitor. Apesar de sermos apresentados a três novos personagens distintos ao entrar em cada porta, King conseguiu realizar uma boa imersão na personalidade e vida dos mesmos, na medida certa da profundidade requerida. Ficou muito interessante e nem um pouco chato.

Houve tensão, heroísmo e até comédia nas medidas corretas. Para mim foi um livro muito bom. E como a maioria dos livros muito bons a crítica acaba sendo pequena, enquanto que a descrição do enredo se alonga. E a expectativa para o próximo livro fica realmente alta. A única coisa que lembro de ter me deixado confuso — e isso pode ser por questões de tradução — foi a descrição geográfica. Por exemplo, se é dito que o mar estava para o Oeste e o Pistoleiro estava seguindo para o sul, o mar deveria ficar à direita de Roland, e não à esquerda. Enfim, pode ser que eu tenha entendido errado, como pode também ser erro de tradução, ou de desatenção do autor. Não se sabe.

Por fim, minha nota para este livro é 9,5 por causa da pequena confusão geográfica que de vez em quando me dava nos nervos. Não fosse a confusão teria sido um 10.

Nota = 9,5

About Evandro J.R. Silva

É Doutorando em Ciência da Computação. Convertido desde os 6 anos de idade, a partir dos 15 anos começou a ler e estudar a Bíblia autodidaticamente. É membro de uma Igreja Batista. Gosta bastante de jogos eletrônicos e de ler, principalmente sobre apologética e literatura fantástica. Tem como gosto musical preferido o metal sinfônico.

Seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s